Reflexão do dia 18 de fevereiro
CADA UM SEGUE O SEU PRÓPRIO CAMINHO
Clique para ver a reflexão na íntegra
Clique aqui para ingressar no aabr

Há muitas mulheres e gente jovem em A.A?

Há muitas mulheres alcoólicas em A.A.?

O número de mulheres que estão encontrando ajuda em A.A. para seu problema com respeito à bebida aumenta diariamente. Aproximadamente um terço dos membros de A.A., atualmente, são mulheres; entre os recém-chegados, a proporção vem aumentando constantemente. Como os homens na Irmandade, elas representam todas as camadas sociais e experiências possíveis com a bebida.

A impressão geral parece ser de que a mulher alcoólica enfrenta problemas especiais. Pela tendência da sociedade de colocar as mulheres num pedestal mais alto do que o dos homens, algumas mulheres poderão sentir que se atribui um estigma maior ao abuso do álcool da parte delas.

A.A. não faz distinção desse tipo. Seja qual for sua idade, posição social, condição financeira ou grau de instrução, a mulher alcoólica, tanto como o homem, poderá encontrar compreensão e ajuda em A.A. dentro do ambiente do Grupo local, as mulheres estão desempenhando um papel cada vez mais significativo.

Há muita gente jovem em A.A.?

Uma das tendências mais alentadoras no desenvolvimento de A.A. é o fato de que cada vez mais jovens de ambos os sexos estão sendo atraídos ao programa antes que seu problema relativo à bebida se transforme num desastre total. Agora que se compreende melhor a natureza progressiva do alcoolismo, esses jovens reconhecem que, se uma pessoa for alcoólica, a melhor hora de deter a doença é na fase inicial.

Nos primeiros dias do movimento, acreditava-se comumente que os únicos candidatos lógicos para A.A. eram aqueles homens e mulheres que haviam perdido seus empregos, haviam chegado à sarjeta, haviam desequilibrado completamente sua vida familiar ou haviam de alguma outra forma se isolado das relações normais durante anos.

Hoje, muitos dos jovens que procuram A.A. têm entre 20 e 30 anos de idade. Alguns ainda não chegaram aos 20. A maioria deles ainda tem seu emprego e está com a família. Muitos nunca estiveram na cadeia nem foram internados em sanatórios. Sabem, porém, o que lhes espera. Reconhecem que são alcoólicos e que não tem sentido permitir que, neles, o alcoolismo chegue a percorrer seu caminho desastroso.

Sua necessidade de recuperação é tão premente quanto à dos homens e das mulheres de maior idade que não tiveram oportunidade de procurar o A.A. quando jovens. Uma vez em A.A., os jovens e idosos dificilmente sentem a diferença de idade. Em A.A., ambos começam uma nova vida partindo do mesmo ponto - seu último trago.

Alcoólicos Anônimos do Brasil - Todos os direitos reservados 2019